Há que documentar o vazio. Agora também em mármore!
dubois@aeiou.pt

terça-feira, julho 05, 2005

Castor Reborn

Flui o nada no vazio

Assustado fixou o olhar na luz alaranjada que respingava preguiçosa por entre as cortinas. Foda-se!, pensou. Tanto tempo passara e ainda assim não tinham brotado cinzas de si. Mesmo no esquecimento e na pacatez do universo interno... Mesmo aí, onde nem ele próprio caminha em segurança. Mesmo nos locais que só ele conhece, mesmo no pós-útero, mesmo de mão dada com a alma. Mesmo fugindo e desaparecendo, mesmo criando um labirinto de dor e opressão, mesmo fazendo churrascos ao sábado, mesmo ouvindo pop, mesmo passando fins de semana com os sogros e sorrindo aos primos longínquos.

Mesmo depois de tudo o turbilhão voltou. Efervescente, mas não agressivo. Teimoso, quase violador. Pega nessa merda!, ouviu no escuro... Acordou banhado em suor, em plena orgia barroquina, com uma maçã na boca e um exemplar original de Sade na mão esquerda. O vazio voltou, havia que o documentar!

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Voltaste?

Coruja

2:44 da tarde

 
Blogger 100 nada said...

Olha, olha...:)

3:50 da tarde

 
Anonymous Anónimo said...

Looking for information and found it at this great site... » » »

11:33 da tarde

 
Anonymous Anónimo said...

This is very interesting site... »

9:19 da tarde

 

Enviar um comentário

<< Home